03ago

Ainda é forte a ideia de que nosso destino e felicidade seja uma vida profissional e uma família. Mas e quando, já na maturidade, a família segue seu caminho autonomamente, sua vida profissional, caso a tenha, já não é mais a mesma coisa; ou caso tenha escolhido a educação e formação dos filhos, está aflita e angustiada com o vazio que se abriu, já que os filhos não precisam mais de você? Assim como todas as mães na natureza, existe um tempo de cuidar e alimentar os filhos, ensiná-los, e empurrá-los pra fora do ninho; e o momento seguinte é o de olhar pra si mesma e escutar seu coração. O que vou fazer agora, como e de que forma, são as questões naturais nesse novo momento; não se trata do fim da vida, é apenas um ciclo que se acaba. Não se trata do fim da juventude, mas da maturidade que se anuncia. A mesma coragem que ser mãe exigiu, é preciso ter agora, mas com a confiança da maturidade. Escute seu coração, olhe pra novos lados, procure um terapeuta, psicanalise-se. É uma ótima maneira de recomeçar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *